Dia Mundial do Doador de Sangue: tudo o que você queria saber sobre a doação! - Blog - Hospital Evangélico

13/06/2024

Dia Mundial do Doador de Sangue: tudo o que você queria saber sobre a doação!

Doar sangue salva vidas! É um ato 100% voluntário, rápido e que pode ser feito pela grande maioria das pessoas. Saiba o que é necessário para ser um doador.

HES e IOS - Capas Blog Junho 2024 - Dia Mundial do Doador de Sangue

Doar sangue é um dos atos de carinho, respeito e amor ao próximo mais profundos que existem. Essa ação é tão especial que possui um dia celebrado em todo o planeta, todos os anos. 14 de junho é o Dia Mundial do Doador de Sangue – para comemorá-lo, o Hospital Evangélico de Sorocaba e o Instituto de Oncologia de Sorocaba trazem informações para quem deseja entrar na lista de doadores, mas ainda tem dúvidas sobre como funciona o procedimento.

A porcentagem de brasileiros que doam sangue regularmente é de apenas 1.4%. Quando ocorrem campanhas de doação ou pessoas próximas necessitam de sangue, essa taxa aumenta.

A fim de aumentar a taxa de doações regulares de sangue, a Organização Mundial da Saúde criou essa data celebrativa para:

 

  • agradecer e reconhecer os milhões de doadores voluntários de sangue que contribuíram para a saúde e o bem-estar de milhões de pessoas em todo o mundo
  • mostrar as conquistas e os desafios dos programas nacionais de sangue e compartilhar as melhores práticas e lições aprendidas
  • destacar a necessidade contínua de doação de sangue, regular e gratuita, para alcançar o acesso universal a transfusões de sangue seguras
  • promover uma cultura de doação regular de sangue entre os jovens e o público em geral e aumentar a diversidade e a sustentabilidade do conjunto de dadores de sangue.

Lembrando que, quanto maior o número de doadores, maior a chance de compatibilidade sanguínea para todos os necessitados, visto que o Brasil é um pais multiétnico com diversidade biológica incrivelmente rica!

Receios para realizar a doação?

Como sabemos e sempre observamos quando ocorrem tragédias aqui no país, os brasileiros são muito generosos e adoram ajudar o próximo. Estamos sempre prontos a estender a mão (até mesmo para facilitar a coleta de sangue!). Por que, então, o número de doadores de sangue ainda é baixo? Afinal, o sangue é um elemento vital, essencial em emergências médicas, capaz de salvar vidas. A doação é um processo simples e seguro. Por que mais gente não faz essa ação?

A resposta é que ainda existe um certo receio com relação aos procedimentos, assim como desconhecimento de detalhes acerca de como ocorre a coleta e quem pode se candidatar. São esses pontos de dúvidas que elucidamos hoje! Acompanhe.

No Brasil, o Ministério da Saúde, por meio da Agência Nacional de Vigilância Sanitária, redigiu em 2014 o Regulamento Sanitário que estabelece os requisitos de boas práticas para serviços de hemoterapia que desenvolvam atividades relacionadas ao ciclo produtivo do sangue e para serviços de saúde (RDC N° 34, DE 11 DE JUNHO DE 2014). Nela, estabelesse regras para aptidão de doadores e práticas em todo ciclo do sangue.

Para começo de conversa: quem pode doar sangue?

Existem alguns parâmetros básicos para ser doador de sangue. São eles:

IDADE: entre 16 e 69 anos. Menores de 18 anos podem doar, só precisam apresentar autorização dos responsáveis.

Curiosidade: em 2013, o Ministério da Saúde permitiu que idosos até 69 anos doassem sangue, aumentando o limite de idade anterior!

PESO: a partir de 50kg.

SAÚDE: quem está em boas condições de saúde e não possui incidentes graves no passado está liberado para doar sangue. Traremos mais detalhes sobre esse ponto a seguir. Por ora, notamos que, aqui no Brasil, no geral, os fatores que mais inviabilizam a doação são: estar com febre, gripe ou resfriados; estar com conjuntivite; estar com diarreia; apresentar anemia; ter comportamento de risco para doenças sexualmente transmissíveis e ter problemas de pressão (hiper ou hipotensão).

FREQUÊNCIA: homens podem doar sangue até 04x por ano, respeitando um período mínimo de 60 dias entre as sessões. Para as mulheres, são até 03 doações anuais, com um espaço maior entre elas (90 dias).

HES e IOS - Blog Junho 2024 - O que fazer no dia da doacao

 

Há outras exceções para a doação?

Mulheres grávidas precisam focar toda a energia no crescimento do bebê! Por isso, não podem doar sangue. A doação é permitida 90 dias após parto normal, ou 180 dias após cesarianas.

Há cuidados referentes ao uso de substâncias psicoativas, especialmente o álcool. Caso tenham sido ingeridas nas 12h que antecedem a doação, ela não poderá ser realizada.

E quem está com diabetes? As pessoas com diabetes em uso de insulina são impedidas de doar. Porém, aqueles em uso de antidiabéticos orais e com glicemia controlada são autorizados.

Outra condição contraindicada na hora de doar sangue é o hipetireoidismo, esteja em tratamento ou só em acompanhamento.

É verdade que…?

Há proibição de doação por homossexuais?

Até 2020, havia a proibição de doação de sangue por homens que haviam tido relações sexuais com outros homens nos últimos 12 meses; a partir de maio daquele ano, tal regra foi abolida. Além disso, a abordagem passou a ser universal, com orientação de não doação para pessoas que tiveram mais de 03 parceiros nos últimos 12 meses.

Há proibição para quem tem tatuagens?

Quem tem tatuagens ou colocou piercings pode, sim, doar sangue. Mas há algumas regrinhas: se você fez uma tatuagem hoje, poderá doar a partir de 06 meses do procedimento. Se você tem um piercing, também deverá esperar 06 meses entre a aplicação do item e a doação (exceto aqueles em região de mucosa). Pessoas com piercing em região de mucosas (boca e vagina) não podem doar sangue, dado o risco maior de infecções. Caso elas retirem esse piercing, poderão doar após 12 meses da retirada do item!

E quem não pode doar sangue de jeito nenhum?

Por questões de segurança do doador e do receptor, quem passou por alguns procedimentos médicos ou teve algumas questões de saúde que afetam diretamente o sangue ou o sistema circulatório fica impedido de ser um doador. São eles:

 

Doenças e problemas de saúde

 

  • Ter problemas graves/crônicos no coração, pulmão, rim ou fígado
  • Ter problemas com a coagulação do sangue, como tromboses de repetição ou tromboembolismo pulmonar.
  • Ter HIV, hepatite B e C, doença de Chagas ou HTLV I
  • Ter tido hanseníase
  • Ter tido câncer
  • Ter tido verminoses, como:
    • esquistossomose hepatoesplênica
    • filariose
    • brucelose
    • leishmaniose visceral ou tegumentar.
  • Estar com Doenças Neurodegenerativas
  • Já ter utilizado drogas ilícitas injetáveis em qualquer época da vida.

 

Procedimentos médicos

 

  • Quem recebeu transplantes de órgãos ou de medula (incluindo córnea)
  • Espenlectomia (não traumática)
  • Amigdalectomia (remoção das amígdalas)
  • Cirurgias oncológicas
  • Gastrectomia total

É de extrema importância lembrar que o uso de medicações, certas condições de saúde e a realização de procedimentos (mesmo que estéticos) podem impedir temporariamente a doação de sangue. Em caso de dúvidas, entre em contato com o Banco de Sangue mais próximo a você.

Fatos e curiosidades sobre a doação de sangue

  • 01 sessão de doação de sangue pode salvar até 04 vidas!
  • Em uma doação, coleta-se de 400 a 500mL de sangue – isso equivale a menos de 10% do total que uma pessoa possui (6 litros). Em apenas 03 dias, esses 500mL já foram repostos pelo organismo.
    • Em maiores detalhes: em 03 dias, o plasma sanguíneo é reposto, recuperando o volume doado. Para os glóbulos vermelhos voltarem aos valores anteriores, deve-se aguardar cerca de 04 semanas. E, em 08 semanas (12 para mulheres), a quantidade de ferro no sangue é reposta. Por isso, é necessário aguardar um certo período entre uma doação e outra, como vimos acima.
  • No Brasil, em 2019, 07 milhões de pessoas doaram sangue. A maioria é de homens (quase 60% dos doadores) e com mais de 29 anos (62% do total).
  • Não há qualquer risco de contágio: durante a coleta, são utilizados materiais estéreis e individuais, e não existe qualquer contato com sangue de outras pessoas. O procedimento é seguro.

HES e IOS - Blog Junho 2024 - Doar Sangue salva vidas

 

Estou apto(a) para e quero doar sangue! O que fazer agora?

Para todos que decidem ajudar a próximo por meio da doação de sangue, enviamos nossos agradecimentos e parabéns antecipados! Esta é uma atitude nobre, com potencial de ajudar pessoas em situações críticas de saúde. Nunca é demais frisar: doar sangue salva vidas, literalmente.

Como vimos acima, apesar das exceções, a grande maioria das pessoas está apta a ser um doador. Para tanto, o primeiro passo é procurar o hemocentro mais próximo de sua casa. Há cerca de 100 hemocentros no Brasil. Informe-se sobre o mais próximo de você e entre em contato para saber detalhes, como dias e horários ideais para a visita. Lembre-se sempre de ir com documento oficial com foto.

Não sabe onde fica o hemocentro mais próximo? É simples! É possível utilizar o sistema de cadastro nacional de hemocentros do projeto REDOME (Registro Brasileiro de Doadores Voluntários de Medula Óssea), do Instituto Nacional do Câncer. Acessando o website abaixo, é possível realizar uma busca por estado ou, ainda mais fácil, pelo CEP de sua residência.

Hemocentro mais perto de casa: https://redome.inca.gov.br/campanhas/hemocentros-do-brasil/

No dia da doação, é importante alimentar-se bem (evitando excesso de comida e de alimentos gordurosos), lembrar de não ingerir álcool nas 12h que precedem a doação, evitar fumar pelo menos 2h antes da sessão e dormir pelo menos 06 horas.

O procedimento dura aproximadamente 15 minutos, porém desde a entrada do doador até o final da doação pode levar 01 hora, visto que é necessário passar por etapas de cadastro, triagem dos sinais vitais e entrevista antes da doação propriamente dita. Durante a coleta de sangue, você receberá orientação detalhada sobre o que será realizado, assim como o ‘pós-doação’. Saberá, também, que ‘efeitos adversos’ são muito raros – segundo a ANVISA, aqui no Brasil, em 2019, intercorrências aconteceram em menos de 2% das doações, a maioria delas relacionada a dificuldades na punção venosa. Nenhuma intercorrência grave foi notificada!

 

Neste Dia Mundial do Doador de Sangue, faça parte você também dessa corrente de amor, solidariedade e saúde. Ajude a salvar vidas! Lembre-se, também, que doadores possuem outros benefícios aqui no Brasil, como direito a um dia de folga por ano por doação e meia entrada em cinemas, teatros e eventos culturais.

Acima de tudo, estender a mão ao próximo é um ato que não tem preço e que ajuda tanto quem doa quanto quem recebe!

 

 

Para saber mais:

  • 8º Boletim de Produção Hemoterápica do Brasil da Anvisa (Agência de Vigilância Sanitária): acesse aqui.

 

Compartilhe no Facebook Compartilhe no Whatsapp Compartilhe no Twitter

04 de fevereiro

Março azul-marinho: especialistas explicam a importância dos exames preventivos e diagnóstico precoce para o combate ao câncer colorretal

Campanha alerta para prevenção do terceiro tipo mais comum de câncer no Brasil. De acordo com o Instituto Nacional de Câncer, o INCA, o câncer colorretal é terceiro tipo de tumor maligno mais frequente no Brasil, atingindo mais de 40 mil novos casos por ano, sem distinção de gênero. Pessoas com história familiar de câncer colorretal possuem maior probabilidade de apresentar a doença. A adoção de hábitos e vida saudáveis, como atividade física, dieta rica em fibras vegetais e ingestão de pelo menos 2l de agua por dia ajudam a prevenir a doença. Mas o que é o câncer colorretal?   O câncer colorretal atinge o intestino grosso e/ou sua porção final, o reto. Também pode ser chamado de câncer de intestino ou tumor de cólon e reto. A doença é caracterizada por alterações desordenadas na divisão e reprodução das células. Se descoberto na fase inicial, quando ainda não se disseminou para outras partes do corpo, há mais de 90% de chances de cura. Por se tratar de uma doença silenciosa em muitos dos casos, é preciso estar atento a alguns sintomas: presença de sangue nas fezes, dores na barriga com duração de mais de 30 dias, mudança no ritmo intestinal, isso é, constipação ou diarreia, perda de peso acelerado, anemia, cansaço e fraqueza. A pesquisa de sangue oculto nas fezes, realizada anualmente, auxilia no diagnóstico de lesões que podem ser precursoras da doença, como os pólipos intestinais. Dr. Luis Pires, médico oncologista do Instituto de Oncologia de Sorocaba (IOS), comenta que “a maioria das pessoas que apresentam esses quadros não tem câncer de intestino, pois outros problemas de saúde podem causar sintomas semelhantes. Mas, se você tiver algum desses, ou se algo não parecer bem, procure o seu médico imediatamente. Apenas um profissional pode te dar um diagnóstico preciso”, explica o especialista.     Como prevenir a doença Dr. Igor Marchetti, endoscopista e responsável pelo setor de exames endoscópicos do Hospital Evangélico de Sorocaba, chama a atenção para a prevenção da patologia. “Alguns hábitos para inserir na rotina como forma de prevenir o câncer colorretal são: uma vida mais ativa, com atividades físicas regulares, sem tabagismo e o uso abusivo de álcool, aliado a uma dieta rica em fibras e ingestão de 2 a 3 litros de água por dia”, explica o médico. Outra forma de prevenção é a realização da colonoscopia. Com ela é possível identificar lesões indicativas para o câncer colorretal. “Após os 45 anos, todas as pessoas devem procurar um médico e solicitar o exame de colonoscopia. Este exame é feito com um aparelho que possui uma câmera na sua extremidade e é capaz de visualizar todo o intestino grosso. Em muitos casos, são encontrados o que chamamos de ‘pólipos’, que são pequenas lesões benignas, porém algumas com potencial de evoluírem para um câncer. Assim, durante o exame essas lesões são identificadas e retiradas, concluindo a prevenção efetivamente”, instrui o endoscopista. Sobre o Hospital Evangélico   O Hospital Evangélico de Sorocaba (HES) foi fundado em 1935 e é considerado um dos mais tradicionais e acolhedores de Sorocaba. O HES conta, hoje, com Pronto Atendimento Adulto ágil em diversas áreas, inclusive Ortopedia e Oncologia. Possui ambulatório médico em diversas especialidades, Centro Cirúrgico e Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Junto com o Instituto de Oncologia de Sorocaba (IOS), o HES compõe o hub de serviços em saúde do grupo Hospital Care para toda a região. O Hospital Evangélico está localizado na Rua Imperatriz Leopoldina, 136, Vila Jardini. Telefone: (15) 2101-6600. Sobre o IOS O Instituto de Oncologia de Sorocaba é referência há mais de 27 anos em atendimentos de consultas, quimioterapias e infusões oncológicas e não oncológicas tendo como foco cada paciente como um ser único. No IOS, o conceito de humanização não é apenas teórico, mas praticado. O Instituto de Oncologia de Sorocaba está localizado no Centro de Medicina e Saúde, que fica na Av. Comendador Pereira Inácio, 950, Térreo, Jd. Vergueiro, telefone: (15) 3334-3434.

16 de junho

Junho Vermelho: mês reforça a conscientização da doação de sangue

Além de ajudar o próximo, o gesto pode trazer benefícios ao doador e salvar de três a quatro pessoas A doação de sangue é uma ação que transcende barreiras e une pessoas de diferentes origens em um objetivo comum: ajudar aqueles que necessitam de transfusões sanguíneas para sobreviver. Pacientes que enfrentam doenças graves, cirurgias complexas, complicações durante o parto e acidentes traumáticos dependem desse ato de generosidade para que se recuperem. No dia 14 de junho, é comemorado o Dia Mundial do Doador de Sangue, uma data dedicada a reconhecer e celebrar o ato de solidariedade que salva vidas. A Hematologista do Instituto de Oncologia de Sorocaba (IOS), Dra. Camila Helena Gonzaga, explica que as transfusões sanguíneas são responsáveis por restaurar a quantidade adequada de células sanguíneas no organismo. “Esse procedimento melhora a capacidade do corpo de transportar oxigênio e manter a função adequada dos órgãos. Além desse uso principal, o sangue doado também é utilizado para o desenvolvimento de medicamentos, produção de produtos derivados do sangue, como fatores de coagulação e imunoglobulinas, entre outras aplicações terapêuticas”, diz. No entanto, apesar da importância crucial da doação de sangue, muitos países ainda enfrentam escassez em seus estoques. De acordo com o Ministério da Saúde, globalmente, 42% do sangue é coletado em países de alta renda, que abrigam apenas 16% da população mundial. Essa falta pode ter consequências devastadoras, colocando em risco a vida de pacientes que dependem de transfusões sanguíneas. É por isso que o Dia do Doador de Sangue é tão significativo. Ele visa conscientizar e incentivar as pessoas a se tornarem doadoras regulares. Além de ajudar o próximo, o gesto pode trazer benefícios ao doador. Segundo a Universidade Estadual Paulista, Unesp, doar sangue de forma regular pode reduzir o risco de doenças cardíacas, além de ajudar a manter níveis saudáveis de ferro no sangue. “Muitas pessoas experimentam um senso de realização e satisfação emocional ao doar sangue. Saber que estão ajudando a salvar vidas e contribuir para a saúde de outras pessoas pode proporcionar uma sensação de propósito e gratidão”, comenta Camila. Uma doação que pode valer por quatro A médica hematologista comenta que uma doação de sangue pode potencialmente salvar a vida de três a quatro pessoas. O sangue doado é dividido em componentes: glóbulos vermelhos, plasma e plaquetas, que podem ser utilizados individualmente para tratar diferentes condições médicas. “Os glóbulos vermelhos são usados principalmente em transfusões para pacientes com anemia ou perda significativa de sangue. O plasma é utilizado para tratar distúrbios de coagulação e outras condições. As plaquetas são frequentemente necessárias para pacientes com distúrbios de coagulação ou que estão passando por tratamentos como a quimioterapia. Dessa forma, uma única doação de sangue pode ser processada e separada em diferentes componentes para ajudar várias pessoas”, explica. Doar sangue é um processo seguro e simples. Antes de realizar a doação, os doadores são submetidos a uma triagem rigorosa para garantir a segurança tanto para a pessoa que está doando quanto para o receptor. O sangue coletado é testado para identificar possíveis infecções e, em seguida, processado e distribuído de acordo com as necessidades médicas. “No Brasil, existem critérios específicos e restrições para a doação de sangue. De forma geral, os doadores devem ter entre 16 e 69 anos, lembrando que menores de idade (16 e 17 anos) podem doar sangue com a autorização dos pais ou responsáveis legais. O peso mínimo exigido é de 50 kg. Para homens, o intervalo mínimo entre as doações é de 60 dias, com limite de até quatro doações por ano. Para mulheres, o intervalo mínimo é de 90 dias, com limite de até três doações por ano”, orienta a médica. Mas antes de doar sangue, é importante se preparar adequadamente para garantir a segurança e o bem-estar durante e após o processo. Aqui vão algumas dicas: nas 24 horas antes da doação beba bastante líquido, evite bebidas alcoólicas, faça uma refeição leve, evitando comidas gordurosas, evite jejum prolongado e exercícios físicos. “Sempre é importante seguir as orientações específicas do local de doação de sangue onde a pessoa planeja fazer a doação. Eles fornecerão instruções detalhadas e responderão a quaisquer perguntas específicas que você possa ter sobre a preparação adequada antes da doação de sangue. E lembre-se, doar sangue é um ato de altruísmo, quem doa sangue, doa vida”, conclui Camila. Sobre o Instituto de Oncologia de Sorocaba O Instituto de Oncologia de Sorocaba é referência há mais de 27 anos em atendimentos de consultas, quimioterapias e infusões oncológicas e não oncológicas, tendo como foco cada paciente como um ser único. No IOS, o conceito de humanização não é apenas teórico, mas praticado. O Instituto de Oncologia de Sorocaba está localizado no Centro de Medicina e Saúde, que fica na Av. Comendador Pereira Inácio, 950, Térreo, Jd. Vergueiro, telefone: (15) 3334-3434.

15 de maio

Dia Nacional do Controle das Infecções Hospitalares: um alerta para medidas que evitam esse problema que atinge 14% dos pacientes

Data foi criada para conscientizar as autoridades sanitárias, diretores de hospitais e trabalhadores da saúde As infecções relacionadas à assistência à saúde (IRAS) são um desafio para as autoridades do assunto. Segundo o Ministério da Saúde, 14% dos pacientes são atingidos pelo problema durante a internação. Essas doenças podem ser causadas por bactérias, vírus, fungos, uso prévio de antibióticos, cirurgias anteriores ou procedimentos em internações. Para conscientizar as autoridades sanitárias, diretores de hospitais e trabalhadores da saúde sobre o tema, foi criado o Dia Nacional do Controle das Infecções Hospitalares, comemorado no dia 15 de maio. O médico infectologista do Hospital Evangélico de Sorocaba, Dr. Fernando Ruiz, comenta os perigos das IRAS, as atitudes e protocolos para evitá-las ao máximo. "As infecções hospitalares podem ser especialmente perigosas para pacientes que já estão imunocomprometidos, como aqueles submetidos à quimioterapia ou cirurgia de transplante. Também podem levar à sepse, pneumonia e outras condições potencialmente fatais. Além disso, as infecções hospitalares também podem resultar em hospitalizações prolongadas, readmissões e aumento dos custos de saúde", explica o médico. Para evitar que as pessoas acabem contraindo alguma doença dentro dos hospitais, as instituições de saúde contam com uma equipe especializada em prevenir e controlar as IRAS, através de normas condensadoras em protocolos que são implantados e supervisionados pela Comissão de Controle de Infecção Hospitalar (CCIH). "Esse time expõe relatórios pertinentes a membros diretivos da instituição da CCIH em reuniões periódicas, onde são elaboradas estratégias que possam diminuir a incidência dessas infecções. São analisados índices e indicadores que visam refletir a excelência desse trabalho exaustivo de busca, monitoramento e prevenção das infecções", comenta Ruiz. O perigo das superbactérias Falando de prevenção a infecções, as superbactérias merecem uma atenção especial. Trata-se daquelas bactérias que resistem ao tratamento com os antibióticos existentes. As infecções causadas por essas bactérias podem ser mais graves e duradouras, aumentando o risco de complicações e morte. Além disso, as superbactérias podem se espalhar facilmente em ambientes hospitalares, colocando em risco a saúde de pacientes vulneráveis, como idosos e pessoas com sistema imunológico comprometido. Uma das grandes razões para o surgimento desse “super vilão” é uso inadequado de antibióticos, seja por automedicação, por indicação e dose equivocadas ou tempo prolongado. “Isso gera aumento na resistência dos agentes infecciosos, em geral, bactérias. O controle dessa medicação dentro das instituições é fundamental para se conseguir resultados satisfatórios com o uso dos antibióticos hoje disponíveis”, conscientiza Ruiz. Além desse aspecto relacionado à utilização de medicamentos, os hospitais, para terem o controle eficaz de infecções hospitalares, contam com uma abordagem multidisciplinar. Através de treinamentos, são passados para os funcionários da saúde, aos pacientes e seus familiares, regras básicas no intuito de se obter o melhor resultado esperado em situações eletivas. “Essas orientações permitem evitar a transmissão de agentes infecciosos, não só para os profissionais de saúde, mas também para os pacientes, visitas e pessoal administrativo que trabalha no hospital”, completa Ruiz. Importância de lavar as mãos Segundo Ruiz, a higienização correta das mãos é a base do controle das IRAS. Evita a transmissão cruzada de agentes infecciosos, de paciente para o profissional de saúde e vice-versa. “Faz parte fundamental do treinamento em assistência à saúde e é monitorizada todo o tempo nas instituições, além de ser tema constante de campanhas de adesão”, enfatiza o infectologista sobre a importância de lavar as mãos. A higienização das mãos pode ser feita de duas formas: Lavagem com água e sabão: molhe as mãos completamente e aplique uma quantidade suficiente de sabão e esfregue bem, por pelo menos 20 segundos, incluindo as pontas dos dedos, entre os dedos e as unhas. Depois, enxágue com água corrente e seque com uma toalha limpa ou papel. Higienização com álcool em gel: para usá-lo, basta aplicar uma quantidade suficiente na palma da mão e esfregar até que as mãos estejam completamente secas. É importante lembrar que o álcool em gel deve ter no mínimo 70% de concentração para ser eficaz. Sobre o Hospital Evangélico O Hospital Evangélico de Sorocaba (HES) surgiu em 1935, sendo considerado um dos mais tradicionais e acolhedores de Sorocaba. O HES conta, hoje, com Pronto Atendimento Adulto ágil em várias áreas, inclusive Ortopedia e Oncologia. Possui ambulatório médico em diversas áreas de especialidades, centro cirúrgico e unidade de terapia intensiva (UTI). Junto com o Instituto de Oncologia de Sorocaba (IOS), o HES compõe hub de serviços em saúde da Hospital Care para a região.

09 de agosto

Colesterol alto: perigo silencioso que ataca o coração

Doença é um dos principais fatores de risco para o desenvolvimento de doenças cardiovasculares O colesterol é um termo comum que frequentemente ouvimos, mas você sabe exatamente o que é e por que é tão importante para o nosso corpo? Segundo a Sociedade de Cardiologia de São Paulo (Socesp), 65% das pessoas não sabem que o descontrole desse composto gorduroso no organismo pode trazer riscos à saúde do coração. O médico cardiologista do Hospital Evangélico de Sorocaba, Dr. Fernando Oliva, esclarece que o colesterol é um lipídio, ou seja, uma gordura, que desempenha papéis essenciais em nosso organismo, como precursor de hormônios esteroides, produção de ácidos biliares que auxiliam na digestão e síntese da vitamina D. O grande problema é quando os seus níveis ultrapassam os valores desejados na corrente sanguínea. “O excesso de colesterol é diretamente responsável por formar depósitos de gordura nas artérias, também conhecidos como placa de ateroma, podendo provocar com o tempo obstruções e até mesmo oclusões destes vasos. Consequentemente, os órgãos deixam de receber aporte sanguíneo, deixando de funcionar. No coração, isso é conhecido como infarto”, explica Oliva. Segundo Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC), 14 milhões de brasileiros têm alguma doença no coração e essas enfermidades provocam, em média, 1.100 mortes (dados de 2021). O excesso de gordura é também um dos principais fatores de risco para se ter um acidente vascular cerebral (AVC). Vilão silencioso Uma questão preocupante é que mais de 70% dos brasileiros não costumam realizar exames regulares para monitorar seus níveis de colesterol. Dr. Oliva destaca que os exames preventivos, como check-up, são importantes para impedir qualquer problema grave no futuro. "O colesterol elevado é uma doença silenciosa e, muitas vezes, o primeiro sintoma do paciente pode ser um infarto do miocárdio ou acidente vascular cerebral. A prevenção é fundamental para evitar consequências graves", diz. Ainda de acordo com o levantamento da Socesp, 55% dos brasileiros não associam o colesterol com a má alimentação. Dr. Oliva alerta que "a carne vermelha, embutidos, leite integral e seus derivados, além das frituras em geral, são as principais fontes de colesterol com as quais devemos ter cuidado". Além da nossa dieta, existem também grupos de pessoas mais propensas a desenvolverem colesterol elevado, sendo que a herança genética desempenha um papel significativo. Doenças como hipertensão e diabetes podem alterar o metabolismo do organismo e contribuir para o aumento dos níveis de colesterol. Combatendo o colesterol alto Felizmente, existem medidas simples que podem ser adotadas na rotina diária para prevenir e controlar o colesterol. Ter uma alimentação saudável, com redução do consumo de alimentos ricos em gorduras saturadas, e o aumento da ingestão de frutas, vegetais e grãos integrais são passos importantes. Além disso, a prática regular de exercícios físicos é fundamental para manter a saúde do coração. A Organização Mundial da Saúde recomenda, pelo menos, 150 minutos de atividades por semana. Para algumas pessoas, as mudanças no estilo de vida podem ajudar no equilíbrio do colesterol, mas há situações em que o uso de remédios pode ser necessário. “A mudança de hábitos alimentares e início de atividades físicas podem ser capazes de controlar o colesterol, mas é bom lembrar que aproximadamente 80% do colesterol é produzido pelo organismo e 20% é ingerido. Nos casos em que as medidas não farmacológicas não são suficientes, podemos lançar mão de medicações que costumam ser eficazes em seu controle”, enfatiza Oliva. Outro alerta é não parar o tratamento com remédios. Como o colesterol alto é uma doença silenciosa, muitos começam a seguir as orientações médicas e depois, acreditando que tudo está sob controle, param de tomar o medicamento, já que não sentem nenhum sintoma. Com isso, o problema pode deixar de estar controlado no organismo, provocando problemas futuros.

27 de março

Março Borgonha: a importância no diagnóstico precoce do mieloma múltiplo

Com o tratamento adequado, pacientes diagnosticados conseguem ganhar qualidade de vida, ainda que a doença não tenha cura. O mieloma múltiplo é um tipo de câncer que se desenvolve em uma célula presente na medula óssea chamada de plasmócito, responsável por produzir as imunoglobulinas, conhecidas como anticorpos. As células cancerosas se multiplicam na medula óssea resultando num prejuízo da formação de células saudáveis como glóbulos brancos, vermelhos e plaquetas. Segundo a Associação Brasileira de Linfomas e Leucemias, (Abrale), esse tipo de doença representa 1% de todos os tipos de câncer e 13% dos tumores hematológicos, por ano, cerca de 7 mil pessoas são diagnosticadas. Maior incidência ocorre em pessoas negras, homens e acima dos 65 anos. Segundo a hematologista do Instituto de Oncologia de Sorocaba (IOS), Dra. Lisa Ricci, a doença se manifesta de diversas maneiras. Uma das queixas mais comuns é a dor óssea , muitas vezes associada a fraturas patológicas, já que as células do mieloma interferem no processo de absorção dos ossos. A anemia também está frequentemente presente no momento do diagnóstico. “Além disso, os plasmócitos doentes produzem uma proteína chamada Proteína Monoclonal, que pode causar dano dos rins. Infecções recorrentes são frequentemente observadas nestes pacientes uma vez que os anticorpos produzidos pelo mieloma não funcionam como deveriam”, informa a especialista. Como é realizado o tratamento? A detecção precoce é fundamental para o sucesso terapêutico. A médica esclarece sobre o assunto. “O tratamento envolve quimioterapia, imunoterapia, radioterapia (em casos específicos) e transplante de medula óssea. Esta última modalidade terapêutica é indicada para pacientes jovens elegíveis ao transplante. Nas últimas duas décadas, com o avanço das terapias, a expectativa de vida dos pacientes aumentou consideravelmente, porém, a doença ainda é considerada incurável”, esclarece a especialista. O diagnóstico é realizado por exames de sangue, urina, exames de imagem como: tomografia, ressonância e PET CT, além da análise da medula óssea. “No que diz respeito ao tratamento e seguimento destes pacientes, cabe ressaltar a importância do envolvimento de toda equipe multidisciplinar: ortopedia, psicologia, nutricionista, odontologia e fisioterapia.” conclui.   Sobre o Instituto de Oncologia de Sorocaba   O Instituto de Oncologia de Sorocaba é referência há mais de 27 anos em atendimentos de consultas, quimioterapias e infusões oncológicas e não oncológicas tendo como foco cada paciente como um ser único. No IOS, o conceito de humanização não é apenas teórico, mas praticado. O Instituto de Oncologia de Sorocaba está localizado no Centro de Medicina e Saúde, que fica na Av. Comendador Pereira Inácio, 950, Térreo, Jd. Vergueiro, telefone: (15) 3334-3434.

01 de novembro

Hospital Evangélico de Sorocaba inaugura Centro de Cálculo Renal

População contará com atendimento diferenciado para tratamento de cálculo renal, conhecido como “pedra nos rins”. O Hospital Evangélico de Sorocaba inaugura Centro de Tratamento para Cálculo Renal voltado a Sorocaba e região com profissionais capacitados e tecnologia de ponta. O atendimento para urgências renais, que já acontece na unidade, agora passa a contar com fluxo ágil no Pronto Atendimento Adulto. Ele é voltado a pacientes com suspeita de cálculo renal e se propõe a dar atenção especial ao controle da dor, confirmação do diagnóstico, acompanhamento do problema, definições de tratamento até uma possível resolução do caso. O Centro conta com a parceria dos melhores fornecedores de materiais e as melhores marcas mundiais de laser para fragmentação dos cálculos. Dr. Luís Gustavo Gun, médico urologista do HES explica que o objetivo de ter um atendimento especializado é ser referência com o melhor tratamento para o paciente. “O Centro de Calculose não é apenas para emergências, quando a pessoa já está com cólica renal e dores intensas, mas também para aquela que faz acompanhamento urológico e foi identificado o cálculo e, portanto, precisará agendar sua cirurgia”. A resolução rápida do problema também é o grande diferencial desse tipo de serviço médico, afinal, dores renais são fortes e exigem que o tratamento seja feito o quanto antes. Dr. Gun reforça: “Existem duas formas de descobrir que está com as chamadas pedras nos rins: ou porque faz acompanhamento ou apenas quando surge a cólica renal. Ambos os casos precisam de atenção especial para que a cirurgia seja um sucesso. Por isso, surge essa iniciativa do Hospital Evangélico”. Hoje, a cirurgia eficaz para rompimento dos cálculos é a Endoscopia sem Corte, método minimamente invasivo, ou seja, menos agressivo e com recuperação facilitada. Segundo o médico, as chances de êxito são acima de 95%. Além de contar com tecnologia de ponta, o Centro de Cálculo Renal do HES conta com encaminhamento imediato, leitos exclusivos, equipamentos de primeira linha, equipe especializada e é disponível 24h. Vale ressaltar que o hospital já realizava o acolhimento dessas emergências e agora passa a contar com protocolos específicos que, neste caso, levam em consideração o tamanho da pedra. “O Centro é uma unidade de excelência dentro do pronto-socorro. O Hospital Evangélico é pioneiro nesse tipo de atendimento em Sorocaba e região”, completa Dr. Gustavo. Sobre as “Pedras nos Rins” O urologista do HES reforça que, cerca de 8,5% da população possui cálculo renal ou já teve algum episódio que foi eliminado espontaneamente ou foi necessária cirurgia. Qualquer pessoa pode desenvolver o problema, porém a faixa etária mais comum é entre 20 a 45 anos. “O cálculo não possui correlação genética, mas é importante ficar atento ao histórico familiar. Além disso, é mais comum de se desenvolver em cidades mais quentes, já que as pessoas perdem mais líquido por suarem mais. Assim, precisa-se ingerir muita água durante o dia, principalmente, agora que as temperaturas começaram a aumentar”, aconselha o médico. O urologista do HES finaliza alertando que cólica renal são dores muito intensas e que não devem ser negligenciadas, pois isso pode acarretar na perda dos rins: “Isso é sinal de que algo não está bem no corpo. Portanto, nesses casos busque imediatamente um pronto-atendimento”. Sobre o Hospital Evangélico O Hospital Evangélico de Sorocaba (HES) surgiu em 1935, sendo considerado um dos mais tradicionais e acolhedores de Sorocaba. O HES conta, hoje, com Pronto Atendimento Adulto ágil em várias áreas, inclusive Ortopedia e Oncologia. Possui ambulatório médico em diversas áreas de especialidades, centro cirúrgico e unidade de terapia intensiva (UTI). Junto com o Instituto de Oncologia de Sorocaba (IOS), o HES compõe hub de serviços em saúde da Hospital Care para a região.

Newsletter
Newsletter

Assine nossa newsletter

Assine a nossa newsletter para promoções especiais e atualizações interessantes.


    Política